Tecnologia gera cerca de 40% de economia de água

 Em economia

Apesar de 70% da superfície da terra ser coberta por água, apenas uma pequena parcela está disponível para consumo. A falta de água é uma realidade em diversos lugares do mundo, contando com cerca de 900 municípios brasileiros. Esse tipo de tecnologia pode ser uma das saídas para a crise hídrica. As recomendações para evitar desperdício de água nem sempre são levadas a sério. Por isso investir em tecnologias para tornar as cidades inteligentes é a melhor alternativa, de acordo com a ABDI, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial.

Apenas com a tecnologia já é possível reduzir o desperdício e gerar uma economia de 40% de água. No Brasil, cerca de 80 empresas, dentre hospitais, edifícios e universidades, já aderiram a esse tipo de tecnologia, com economia comprovada.

Como funciona?

No fim das contas é bem simples. A redução de desperdício e a economia gerada são resultado de instalação de válvulas e redutores de vazão, como pequenos dispositivos acoplados às saídas de água e sanitários, que poupam cerca de 10 litros de água por minuto em relação aos equipamentos comuns. Além disso, são realizadas vistorias, buscas por vazamentos, análise de pressão, inspeções e monitoramento mensal do consumo.

Uma equipe de engenheiros e técnicos especializados é responsável pelos serviços e instalação de válvulas. Quando se trata de um edifício, residencial ou comercial, o serviço completo leva de 5 a 7 dias para estar completo. Não é necessário fechar o registro geral do condomínio, apenas o registro de cada ponto no momento das inspeções. Dessa forma, não interfere na rotina do local.

Projetos da ABDI

A ABDI inaugurou em 2019, em parceria com o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu, o Living Lab, uma vitrine para demonstração e avaliação de soluções tecnológicas para cidades inteligentes. Dentre as soluções disponíveis para visitação estão uma sala de comando e controle, integrando tecnologias já implementadas no PTI, como de veículos elétricos e bicicletas de uso compartilhado e medidores de água e energia inteligentes.

Outro projeto da ABDI, junto com o Inmetro, criou um ambiente de testes com foco em regularizar o consumo de água. Lá ativaram uma tecnologia que avisa o consumir se os gastos com água estão mais altos que o normal e também pode avisar sobre possíveis vazamentos.

Além disso, diversas empresas, nacionais ou internacionais, já disponibilizam dessas tecnologias, visando reduzir o desperdício de água e gerar economia para os consumidores. Um dado interessante a observar é que, se para cada 1 milhão de pessoas é consumido em média 6 milhões de metros cúbicos de água, com a aplicação dessas tecnologias é possível gerar uma economia de 2,4 milhões de metros cúbicos de água.

Aqui em Joinville, o primeiro smart building da cidade já está em construção. O Morse 282 foi projetado pensando em evitar desperdícios, para cuidar do nosso planeta e do seu bolso. Entre em contato com nossa equipe comercial e conheça todos os detalhes de uma nova forma de viver.

Recent Posts

Deixe um Comentário

Digite o que procura neste campo